Goulart publica 'A evolução do trabalho infantil em Portugal'

Pedro Goulart e Arjun S. Bedi analisam a evolução histórica do trabalho infantil em Portugal em artigo publicado na Social Science History.

Em The Evolution of Child Labor in Portugal, 1850-2001, os autores reúnem informação de várias fontes estatísticas, testemunhos de stakeholders e artigos nos meios de comunicação social, para elaborar uma análise sobre a evolução do trabalho infantil em Portugal desde meados do séc. XIX. Destaca-se particularmente,  a construção de uma singular taxa de participação das crianças no mercado de trabalho em Portugal desde os anos 1930.

Esta metodologia permite aos autores argumentar que a evolução do trabalho infantil foi principalmente determinada pelas necessidades da estrutura económica do país. As competências associadas à adoção de novas tecnologias constituíram o fator central para o afastamento das crianças dos locais de trabalho, enquanto as tardias alterações à escolaridade obrigatória e a introdução de legislação sobre a idade mínima para trabalhar foram, neste contexto, ímpetos secundários.

Especialista em economia do desenvolvimento, Pedro Goulart é atualmente Professor Auxiliar no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e Vice-Presidente do CAPP, onde coordena o grupo de investigação em Administração e Políticas Públicas. É também o investigador responsável do projeto Conta-me como foi: Políticas públicas e trabalho infantil em Portugal e nas colónias Portuguesas. Autor de 44 publicações entre as quais se destacam artigos nas revistas científicas Economics of Education Review, Electoral Studies, European Urban and Regional Studies, e Journal of Educational Research, ou a obra publicada pela Routledge, South-South Globalization: Challenges and Opportunities for Development.

Arjun S. Bedi é especialista em economia do desenvolvimento e Professor Catedrático no International Institute of Social Studies (ISS) da Erasmus University Rotterdam. O seu trabalho de investigação foca o trabalho e recursos humanos nos países em desenvolvimento.

 

 

 

 

Últimas Entradas