Ana Paula Harfouche publica artigo sobre o financiamento do tratamento de cancro da mama na Acta Medica Portuguesa

O cancro de mama é uma das doenças oncológicas mais comuns no mundo. Em 2012, foi a causa de 521000 mortes ao nível global. Em Portugal, são anualmente diagnosticados cerca de 6000 novos casos.

Dada a sua gravidade, esta é uma das três patologias especificamente contempladas no programa de financiamento da Administração Central do Sistema de Saúde promovido desde 2013. E foi, neste âmbito, a que apresentou maior número de doentes elegíveis no primeiro ano de implementação deste programa no IPO Lisboa.

Será no entanto essencial conhecer os custos reais do acompanhamento destes pacientes, comparando-o com o envelope mensal fixo contemplado neste programa por doente. Este foi o objetivo da investigadora do CAPP Ana Paula Harfouche, num novo estudo agora publicado na Acta Medica Portuguesa.

Escrito em coautoria com Sílvia Silva (Hospital da Marinha Portuguesa e Hospital Egas Moniz), e com os investigadores João Faria, Rui Araújo, António Gouveia, Maria Lacerda e Luis D'Orey (Instituto Português de Oncologia de Lisboa), "Cancro de Mama: Valor em Saúde, Custos e Financiamento" analisa um universo constituido pelos 807 pacientes elegíveis no novo programa de financiamento por patologia, e que deram entrada no IPO ao longo do primeiro ano de implementação.

Ana Paula Harfouche preside, desde 2016, ao Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oeste, tendo antes desenvolvido a sua vida profissional como administradora hospitalar no IPO Lisboa Francisco Gentil, e Assessora Financeira e Fiscal do Secretário Estado da Saúde. É também docente no ISCSP/ULisboa e investigadora no Centro de Administração e Políticas Públicas.

 

Últimas Entradas