Apresentação de resultados do projeto "O Perfil do Autor em Portugal"

O projeto O Perfil do Autor em Portugal procurou realizar uma caracterização sociográfica dos autores portugueses, tendo como universo de estudo os inscritos na Sociedade Portuguesa de Autores (SPA). Os investigadores apresentam agora os resultados deste estudo inédito, com cobertura em vários meios de comunicação social.

Liderada pelo investigador do CAPP Paulo Castro Seixas, esta investigação foi realizada através da administração de um inquérito a Cooperadores e Beneficiários da SPA – um universo de cerca de 25 mil autores foi considerado a partir de duas amostras para cada grupo de associados à SPA. Fizeram parte da equipa de investigação o sociólogo Ricardo Cunha Dias e a mestranda em Política Social Inês Subtil.

Os primeiros resultados foram apresentados no passado dia 23 de outubro, numa sessão onde estiveram presentes o Presidente do Instituto de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), o Prof. Doutor Manuel Meirinho, e José Jorge Letria, o Presidente da SPA.

O estudo, a ser entregue à Ministra da Cultura e instituições na área da produção cultural em Portugal, obteve também cobertura em variados meios de comunicação social. O investigador Paulo Castro Seixas foi um dos convidados no programa Império dos Sentidos (a partir de 2:21:30), na Antena 2, onde deu a conhecer os principais resultados do projeto.

Porque tem a música um lugar destacado no perfil do autor português? Porque existem mais homens do que mulheres entre os autores? Estas foram algumas das questões colocadas aos investigadores no âmbito desta entrevista. Para o investigador, um autor é um criador, ou na definição operacionalizada no estudo, um criador com pelo menos uma obra registada na SPA - seja um texto, uma letra de música ou uma composição, uma obra cinematográfica ou de arquitetura. Na RTP1, o destaque foi para o “autor padrão” português, que “é homem, vive em Lisboa ou no Porto, não vive apenas do que produz e não se sente reconhecido pelo trabalho que faz”.

Paulo Castro Seixas nota que a maior parte dos autores na SPA estão inscritos na área de textos, que tanto podem ser obras literárias como letras de musica, constituindo esta última – seja na vertente da música gravada ou das exibições ao vivo – a mais significativa ao nível da cobrança de direitos de autor. O investigador confirma que, no universo dos autores inscritos na SPA, existe uma assimetria de género, com apenas uma mulher para cada seis homens, entre os autores portugueses. No campo da música, esta diferença é maior, com uma mulher para cada vinte homens. No entanto, o investigador alerta para a necessidade de algum cuidado na extrapolação dos resultados para além dos inscritos na SPA.

A profissionalização e a consolidação de uma cultura de autor, alcançadas através da criação de um estatuto do autor português e da atualização do código do direito do autor são algumas das principais preocupações da SPA, e para a resolução das quais este novo estudo apresenta agora alguns indicadores importantes. Para o Presidente da SPA, "a conclusão deste estudo representa um momento de grande maturidade na vida da SPA, porque fornece à cooperativa dos autores um instrumento de trabalho que permite conhecer melhor o universo autoral e o seu papel e influência na vida do país".

 

A brochura do projeto está disponível para download.

 

Últimas Entradas