(Des)Memória de desastre? Cultura e perigos naturais, catástrofe e resiliência. Madeira, um caso de estudo

Título do Projeto:
(Des)Memória de desastre? Cultura e perigos naturais, catástrofe e resiliência. Madeira, um caso de estudo

Data de início e de término
Setembro 2012 a Setembro 2015

Investigador Responsável:
Ana Salgueiro


Equipa de Investigação:

Nome do Investigador Filiação Institucional
Ana Paula Almeida CIERL-UMa
Ana Salgueiro CECC-UCP e CIERL-Uma
Anne Martina Emonts UMa, CECC-UCP, CIERL-UMa
Diana Gonçalves CECC-UCP
Duarte Encarnação UMa, CIERL-Uma
Fábia Camacho UMa
Filipa Fernandes ISCSP;CAPP; CIERL-Uma
Ilído Sousa AIG, CIERL-UMa
Maria João Beja UMa, CIERL-UMa
Martinho P. Mendes FBAUL, CIERL-UMa
Odeta Pereira CIERL-UMa
Paulo Miguel Rodrigues UMa, CIERL-UMa e CIEC-UC
Sara Bonati IGOT-UL, CIERL-UMa
Virgílio Baltasar UMa
V. Nuno Martins DRC-University of Delaware, CES-Univ. Açores


Instituição Proponente:

CECC-UCP (Centro de Estudos de Comunicação e Cultura da Universidade Católica Portuguesa

Instituições Participantes:

CECC-UCP, CIERL-UMA, CAPP


Objetivos do Projecto:

Projeto colectivo, multi e transdisciplinar, “(Des)Memória de desastre? Cultura e perigos naturais, catástrofe e resiliência. Madeira, um caso de estudo” (DMDM) toma como objecto de trabalho reflexivo a (re)construção da memória cultural madeirense e o modo como, no presente e no passado, o tecer dessas múltiplas memórias foi representando, recriando ou denegando a experiência de desastres naturais verificados na ilha.
Integrado na linha de investigação “Cultura & Conflito” do Centro de Estudos de Comunicação e Cultura (CECC) da Universidade Católica Portuguesa e encontrando-se igualmente associado ao Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais (CIERL) da Universidade da Madeira, o DMDM apresenta-se como um projecto que procura articular investigação científica, criação/divulgação artística e intervenção cívica. Desdobra-se, por isso, em três linhas de acção complementares:

  • DMDM1_ Investigação científica: linha de acção coordenada por Ana Salgueiro, reúne um conjunto de investigadores de diversas áreas (Antropologia, Arqueologia, Ciências Biológicas e da Saúde, Estudos de Cultura, Estudos de Desastres, Estudos Literários e Artísticos, Estudos de Turismo, Geografia, História, Psicologia), associados a várias instituições académicas nacionais (Universidade Católica Portuguesa, Universidade da Madeira, Universidade de Lisboa, Universidade Aberta, Universidade Nova de Lisboa) e internacionais (Universidade de Delaware; Universidade de Pádua). O trabalho de revisitação, reconstrução e estudo da (des)memória de desastres naturais na Madeira encontra-se já em curso e toma por objectosde estudo corpora tão diversos como: documentação oficial/institucional, relatos e crónicas antigos, publicações periódicas, textos literários, diversos tipos de discurso criativo e artístico, relatos orais, entre outros.
  • DMDM2_ As artes como lugares de memória de desastre na Madeira: co-coordenada por José Maria Montero e Ana Salgueiro, esta linha de acção assume quatro objectivos fundamentais: (1) promover junto de artistas (locais, nacionais ou estrangeiros) o desenvolvimento de projectos criativos (literários, performativos e/ou visuais), onde se verifique um exercício de reflexão/problematização artística sobre a (des)memória de desastres naturais na Madeira; (2) constituir um arquivo artístico da memória de desastre naturais ocorridos no arquipélago, que possa vir a ser estudado por parte de investigadores do DMDM1 ou outros; (3) intervir na sociedade insular, fomentando uma cultura de desastre e uma eventual maior resiliência, por via da divulgação e estudo de fenómenos criativos e artísticos que conduzam a uma reflexão crítica sobre a memória cultural madeirense, sobre a relação da sua comunidade com o meio natural e sobre a perceção dos riscos a que os insulares, consciente ou inconscientemente, estão sujeitos; e (4) contribuir para a dinamização do sistema cultural e artístico do arquipélago, assim como para a sua divulgação e valorização.
  • DMDM3_ Intervir na escola e formar cidadania: linha de acção co-coordenada por Maria João Beja e Ana Salgueiro e que desafia escolas e outras instituições com trabalho educativo na Madeira (prioritariamente escolas situadas em zonas da ilha com um histórico de desastres naturais conhecido) para, junto das suas comunidades educativas, promover um trabalho de reflexão sobre a memória de desastres naturais verificados nessas áreas. Prevê a realização de acções de formação subordinadas ao tema do DMDM, mas orientar-se-à, sobretudo, para o desenvolvimento de projectos de investigação-acção nas escolas e/ou instituições educativas, co-coordenados por docentes da RAM e investigadores da linha DMDM1. Qualquer artista colaborador no DMDM2 poderá, se assim o entender, associar-se também à linha DMDM3.

Últimas Entradas

uma revista científica