Competing Regional Integrations in Southeast Asia

Data de início e de término
2017 - em curso

Investigador Principal da equipa portuguesa
Prof. Doutor Paulo Seixas

Coordenadores Científicos Internacionais
Yves Goudineau
Jacques Leider

 

Equipa de Investigação portuguesa:

Investigador
Afiliação
 Paulo Seixas CAPP/ISCSP
 Nuno Canas Mendes IO/ISCSP
 Andreia Valente IO/ISCSP

 

Instituições Parceiras

Ecole Francaise D'Extreme-Orient France
Universitaet Hamburg Germany
Universitá degli Studi di Napoli L'Orientale Italy
Uniwesytet Lodzki Poland
Universitetet I Oslo Norway
University of Cambridge United Kingdom
Chang Mai University Thailand
Centre for Strategic and International Studies Indonesia
Ateneo de Manila University Philippines
University of Malaya Malaysia
Vien Khoa Hoc Xa Hoi Viet Nam Viet Nam
Department of International Relations, Mandalay University Myanmar

 

Resumo do Projecto

O projeto Competing Regional Integrations in Southeast Asia (CRISEA) é um projeto de investigação interdisciplinar financiado pelo programa da União Europeia Horizonte 2020. O projeto estuda as multiplas forças que afetam a integração regional no Sudeste Asiático e os desafios que estas representam para as populações e os quadros institucionais da região no contexto da ASEAN.

O projeto reúne investigadores do Sudeste Asiático (SEA) e da Europa com 3 objetivos:

1. Investigação. A nossa investigação anterior demonstrou que o Sudeste Asiático se encontra aberto a múltiplas forças ativas na condução da integração regional através da competição por recursos e legitimidade. Na crise atual de legitimação pela globalização, a integração competitiva dos países do Sudeste Asiático apresentam desafios para as suas populações bem como para o enquadramento subjacente à construção da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN). Neste projeto analisamos estes desafios em pacotes de trabalho temáticos em diversas “arenas de competição”: o ambiente, a economia, o Estado, a identidade das pessoas no Sudeste Asiático, e a Região. Utilizando métodos interdisciplinares de análise aos níveis micro e macro, procuramos saber, para cada caso, como a integração regional liderada pela ASEAN se constitui – e como é percebida pelas populações no Sudeste Asiático – como parte do problema ou como parte da solução. O CRISEA compromete-se com preocupações relacionadas com “o que significa ‘região’ para as populações destes países no e para além do contexto da ASEAN”. Alinhado de perto com a comunicação conjunta de 2015 para as relações EU-ASEAN, procura contribuir para a compreensão da UE sobre “a Ásia e o Pacífico como uma região estratégica para a Europa”.

2. Relevância para as Políticas Públicas. O programa de pesquisa do CRISEA foi desenvolvido pela sua relevância para as políticas da UE em relação à ASEAN e aos seus Estados-A sua estratégia de disseminação é inovadora no sentido em que desenvolve mecanismos para o diálogo com uma audiência-alvo de decisores políticos, stakeholders e o público em Bruxelas e nos países do Sudeste Asiático, utilizando para este fim sessões de esclarecimento, workshops, cobertura de imprensa, filmes e policy briefs.

3. Networking e construção das capacidades do Espaço Europeu da Investigação. Beneficiando das redes de cooperação existentes entre a UE e a ASEAN – a rede EFEO, constituída por 10 centros no Sudeste Asiático, pelos projetos IDEAS e SEATIDE, a EUROSEAS e a ASEF – reforçamos a ERA através do intercâmbio académico coordenado, de pesquisa conjunta e dos resultados da pesquisa realizada. O nosso consórcio envolve académicos do ocidente europeu e do Sudeste Asiático com especialistas no sul e leste da Europa.

 

   

Últimas Entradas