As crianças e o seu direito à cidade: Combater a desigualdade urbana através do desenho participativo de cidades amigas das crianças

 

Data de início e término
2018 - 2020

Investigadora Responsável
Profª. Doutora Eunice Castro Seixas

 

Equipa de Investigação

Nome do Investigador Filiação Institucional
 Eunice Castro Seixas
SOCIUS/ISEG, Universidade de Lisboa
 Paulo Castro Seixas
CAPP/ISCSP, Universidade de Lisboa
 Sofia Bento
SOCIUS/ISEG, Universidade de Lisboa
 João Miguel Lopes
Universidade do Porto
 Lígia Sofia Passos Ferro
Universidade do Porto
 Idalina Maria Jesus
SOCIUS/ISEG, Universidade de Lisboa
 Catarina Almeida Tomás
SOCIUS/ISEG, Universidade de Lisboa
 Maria João Carvalho SOCIUS/ISEG, Universidade de Lisboa

 

Instituições parceiras

 SOCIUS - Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade de Lisboa Portugal
 Universidade do Porto Portugal

 

Resumo do Projeto

Embora a investigação sociológica tenha demonstrado a importância do espaço e do ambiente para a vida das crianças, nomeadamente para a sua saúde, mobilidade independente, abordagem dos problemas sociais, identidade social, sentimento de segurança e impacto geral em questões de igualdade e equidade, as crianças ainda são raramente incluídas no planeamento urbano. Consequentemente, faltam às cidades lugares públicos seguros para estas passearem, brincarem e construirem relacionamentos saudáveis com o meio ambiente. Este projeto visa combater esta desigualdade através de uma abordagem participativa, investigando as relações das crianças com os espaços públicos urbanos nas duas principais cidades portuguesas (Lisboa e Porto), que são também dois importantes focos turísticos.

Tanto Lisboa com o Porto são estudos de caso interessantes pois preparam este ano as respetivas candidaturas à certificação "cidade amiga das crianças" da UNICEF. Partindo do pressuposto de que as crianças são atores sociais com conhecimento válido e capazes de participação política, com um "direito à cidade", e de um entendimento da infância como "espaços socioculturais", efetivados pelas crianças, este projeto analisa a relação das crianças com o lugar a partir das suas próprias perspetivas, utilizando uma abordagem etnográfica, centrada na criança e participativa, assente uma pluralidade de recursos metodológicos. O objetivo principal é compreender como as crianças se relacionam e se apropriam dos espaços públicos urbanos e mais especificamente, como essas relações e apropriações do espaço envolvem a construção de "identidades criança-meio ambiente"; o papel que as TIC, bem como a arte tem nessas identidades; o modo como as crianças lidam com a diferença urbana (nomeadamente aquela associada ao turismo); o sentido de segurança das crianças e sua relação com a violência urbana; o modo como as crianças se relacionam com a natureza e o mundo não-humano; a agência de crianças e o seu sentido de comunidade e as suas práticas de transgressão. Considerando as crianças como "peritos", pretendemos transpor esses dados para o planeamento urbano, fomentando o diálogo com a comunidade e os decisores a fim de projetar possibilidades para uma cidade amiga das crianças.

A equipa inclui sociólogos com forte experiência em estudos urbanos e etnografia, investigadores das áreas de sociologia da infância e desenvolvimento e outros membros com trabalho relevante na participação política de jovens, estudos de ciência e tecnologia e metodologias colaborativas. A PI, doutorada em sociologia, com formação em psicologia, trabalhou em questões relacionadas com os vínculos entre pessoas e lugares, o conhecimento local e a participação política, o envolvimento dos cidadãos em questões ambientais e metodologias qualitativas e colaborativas.

 

 

Últimas Entradas